Infoecosys
Justiça do Paraná tenta iludir trabalhadores para encerrar greve dos Petroleiros Justiça do Paraná tenta esvaziar a greve dos Petroleiros com falsa negociação

O Tribunal Regional do Trabalho do Paraná exigiu hoje, em troca de uma falsa suspensão das demissões na Araucária Nitrogenados (Ansa), subsidiária da Petrobras no Paraná,  que o Sindiquimica - PR  interrompa o movimento de ocupação da empresa e leve a proposta de encerramento da greve nacional dos petroleiros junto à Federação Única dos Petroleiros (FUP).

 A proposta da Justiça do Trabalho é falsa porque :

1) Ela vale só até a próxima audiência entre o sindicato que representa a categoria e a estatal, que irá ocorrer em março.
2) A própria direção da Ansa afirma que os postos de trabalho não existem mais, já que a estatal optou pelo encerramento das atividades.
3) O fechamento da Ansa , que fornece 30% dos nitrogenados necessários para a fabricação de fertilizantes no país, faz parte da estratégia neoliberal da gestão Castelo Branco - Bolsonaro de privatização do setor. Segundo o diretor da FUP, Deyvid Bacelar, "com o fechamento da Ansa e o arrendamento das fábricas da Bahia e de Sergipe, a agroindústria brasileira vai ficar nas mãos dos importadores de amônia e ureia, base para a produção de fertilizantes". "O país coloca em risco sua segurança e soberania alimentar. As fábricas de fertilizantes serviam como lastro para agroindústria escolher onde comprar”, pois " a agroindústria agora ficará à mercê das oscilações no mercado internacional, da variação do dólar e do aumento dos preços dos fertilizantes no mercado interno" termina Bacelar.
O fechamento da fábrica, com quase 1.000 funcionários (396 próprios e 600 terceirizados), é uma das principais pautas da paralisação. Segundo a FUP (Federação Única dos Petroleiros), o movimento já tem adesão de 21 mil empregados. Há mobilizações em 121 unidades da estatal, entre plataformas de produção de petróleo, refinarias e terminais.Eles também protestam contra mudanças em temas como troca de turno e pagamento de horas extras que, segundo eles, foram definidas sem negociação prevista no acordo coletivo.

A estratégia de esvaziamento já havia começedo com nova proposta da Petrobrás, desta terça-feira, para os trabalhadores que serão dispensados com o fechamento da fábrica no estado.A nova proposta tenta cooptar um número maior de trabalhadores da Ansa. Ela promete aviso prévio indenizado, benefícios, como plano médico e odontológico, estendidos aos 144 empregados que seriam desligados já na última sexta-feira (14), pagamento proporcional de 40% da remuneração de dezembro, com acréscimo de meia remuneração ao final, com piso de R$ 60 mil e teto de R$ 210 mil. Como vai ser financiada esta proposta, se a Petrobrás alega que a fábrica deu prejuizos de janeiro a setembro do ano passado de quase R$ 250 milhões? (Com informações da Agência Brasil)

<